AMANHECER EM LUZ & PAZ

AMANHECER EM LUZ & PAZ
Cada novo Sol, a cada despertar é uma nova vida que se inicia, ou mesmo uma renovada-ação. A cada Sol temos a certeza do maior milagre de todos: A VIDA É VOCÊ!

quarta-feira, outubro 28, 2015

Holisticocromocaio: SAÚDE E EQUILÍBRIO - FIBROMIALGIA - CUIDANDO DA SA...

: SAÚDE E EQUILÍBRIO - FIBROMIALGIA - CUIDANDO DA SA...:



SAÚDE E EQUILÍBRIO - FIBROMIALGIA - CUIDANDO DA SAÚDE

DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B-12 NA SÍNDROME DA FADIGA CRÔNICA E FIBROMIALGIA

Deficiência de B-12 na SFC e na fibromialgia podem fornecer pistas e tratamento - por Dana Myatt, NMD, Mark Ziemann, RN* - 11/04/2008 
Os "gatilhos" que dão início à EM (encefalomielite miálgica) ou SFC (síndrome da fadiga crônica) e outras doenças multi-sistema como fibromialgia, sensibilidade múltipla química, doença de Lyme, transtorno de estresse pós-traumático e síndrome da guerra do Golfo, são numerosos e variados. 
No entanto, uma vez que estas doenças frequentemente têm sintomas sobrepostos, os pesquisadores acreditam que possa haver anormalidades bioquímicas comuns a todos os doentes.

Se uma anomalia bioquímica comum puder ser identificada, tratamentos voltados para essa alteração poderiam solucionar o problema ou pelo menos proporcionar uma melhoria significativa para os aflitos.

Na busca de uma "teoria unificadora" de EM/SFC e outras doenças multi-sistema, surgiram dois modelos que ganharam muita credibilidade científica. Estudos estão revelando uma conexão entre essas complicadas e mal entendidas doenças, e uma vitamina igualmente complicada e mal entendida e que pode conter a chave para melhorar a saúde de muitos. 
  A Vitamina B-12 e sua conexão com a EM/SFC e a Fibromialgia: 
Pesquisadores têm observado que os sintomas da deficiência de vitamina 
B-12 são bastante parecidos com os da EM/SFC e outras doenças multi-sistema. De fato, os sintomas se sobrepõem tanto que muitos médicos e pesquisadores respeitados - incluindo os Drs. Paul Cheney, Charles Lapp, Kenny DeMeirleir, Jacob Teitelbaum, e Martin Pall - consideram a vitamina B-12 como o pilar de apoio do tratamento. 

Um estudo constatou melhora nos níveis de energia, mesmo em pessoas que não eram deficientes em vitamina B-12, mas que receberam a vitamina mesmo assim. Uma dose de B-12 (2.500-5.000 mcg) administrada a cada dois ou três dias foi associada com uma melhora em torno de 50% a 80% num grupo de pessoas com EM/SFC. A maioria da melhora foi observada após várias semanas de administração da vitamina B-12. 

Sintomas da deficiência de Vitamina B-12: 
  • Mais conhecida pela participação na fabricação de glóbulos vermelhos, a B-12, também é necessária para produção e manutenção da Mielina que reveste e protege as fibras nervosas, e para a fabricação e manutenção do DNA. Por participar em quase todas as funções do organismo, a deficiência de vitamina B-12 têm consequências generalizadas:
  • Energia: Mesmo uma pequena deficiência de vitamina B-12 pode causar anemia, fadiga, falta de ar e fraqueza.
  • Sistema Nervoso: Deficiência de B-12 pode causar alterações neurológicas incluindo dormência e formigamento nas mãos e pés, problemas equilíbrio, depressão, confusão, má memória e sintomas parecidos com os da doença de Alzheimer. No longo prazo, as deficiências de B-12 podem resultar em incapacidade permanente do sistema nervoso.
  • Sistema Gastro-intestinal: Deficiência de B-12 pode causar falta de apetite, constipação, diarréia, ou constipação alternada com diarréia (também chamado de síndrome do intestino irritável), perda de peso e dor abdominal.
  • Sistema Imunológico: A vitamina B-12 é necessária para o funcionamento normal das células brancas do sangue. Estudos mostram que a B-12 ajuda a regular os linfócitos-T (NKT cells) e evitar danos aos cromossomos. 
  • Sistema Cardiovascular: A vitamina B-12 participa na conversão de homocisteína em metionina. Níveis elevados de homocisteína são fatores de risco para ataque cardíaco, AVC e trombose. Baixos níveis de B-12 elevam os níveis de homocisteína. 
  • Sentidos: As alterações degenerativas no sistema nervoso central causadas por deficiência de B-12 podem afetar o nervo óptico, resultando em daltonismo.
  • Outros sintomas: Feridas na boca ou língua.
  • Em lactentes e crianças: Os sinais de deficiência de B-12 incluem falha de crescimento, distúrbios do movimento, atraso no desenvolvimento, e anemia megaloblástica.
Fontes de B12
Então a EM/SFC é uma simples deficiência de Vitamina B-12? 

Embora muitos dos sintomas da deficiência de B-12 sejam comuns aos da EM/SFC e outras doenças multi-sistema, os investigadores não sugerem que estas doenças sejam simplesmente uma deficiência de vitamina B-12.
Duas novas teorias de anormalidades bioquímicas se mostraram fortemente envolvidas nessas doenças: O modelo óxido nítrico/peroxinitrito (NO-/ONOO-) e o ciclo de metilação. De fato, um ou ambos os modelos de anormalidade bioquímica poderiam ser a causa central da EM/SFC. Curiosamente, ambas anormalidades estão relacionadas às formas de deficiência de vitamina B-12. 

Quem é deficiente de vitamina B-12 e por quê? 
Pesquisas mostram que mais pessoas têm deficiência de vitamina B-12 do que se pensava anteriormente. Estudos recentes indicam que até 78% dos idosos têm essa deficiência. 
  • A síndrome do intestino irritável (SII), que ocorre em 77% dos pacientes de SFC e em 78% dos pacientes com fibromialgia, é uma das principais causas da deficiência de vitamina B-12. Isto nos leva a refletir sobre o que veio primeiro o ovo ou a galinha: são os pacientes deficientes de B-12 por causa da SII, ou a SII é causada pela deficiência de B-12?

Outros grupos de alto risco para deficiência de B-12 incluem:
  • Aqueles que utilizam drogas para bloqueio de ácido gástrico, tais como omeprazol, lanzoprazol, ezomeprazol e outros; 
  • Aqueles que usam drogas que prejudicam a absorção intestinal, tais como a metformina (para diabetes), a colestiramina (para colesterol) e o cloranfenicol (antibiótico); 
  • Pessoas que sofreram cirurgia gástrica. 
  • O super crescimento bacteriano no intestino delgado, que ocorre frequentemente em pessoas com EM/SFC e a baixa taxa ácido gástrico, é um fator que predispõe para a deficiência de B-12, porque essas bactérias consomem vitamina B-12.
Um estudo recente e perturbador sugere que a deficiência de vitamina B-12 é mais comum em adultos jovens do que se pensava. Outro estudo mostrou que a deficiência de vitamina B-12 foi semelhante em três grupos etários (26 a 49 anos, 50 a 64 anos, e mais de 64 anos), mas que os primeiros sintomas foram simplesmente menos aparente nos jovens. Este estudo também constatou que aqueles que não tomam suplemento de vitamina B-12 têm duas vezes mais probabilidades de terem deficiência de B-12 que os que o utilizam, independentemente da idade.

Ao contrário de outras vitaminas solúveis em água, a B-12 é armazenada no fígado, rins e outros tecidos. As deficiências de B-12 muitas vezes aparecem de forma lenta e sutil, e passam despercebida  nos exames de sangue em pelo menos 50% das vezes.

Porque muitas pessoas precisam de obter vitamina B-12 a partir de suplementos?
A medicina acreditava que poucas pessoas teriam deficiência de vitamina B-12. Esta falsa suposição vinha do fato de que a vitamina B-12 é produzida pelas bactérias intestinais do corpo de pessoas normais e saudáveis.

Os alimentos não são uma fonte significativa de vitamina B-12. Carne, leite, ovos, peixe e marisco são os que contêm a maior quantidade de B-12, mas apenas 50% dela é absorvível, mesmo em um intestino saudável. Fontes vegetarianas de vitamina B-12, como algas não contribuem significativamente para os níveis necessários de vitamina B-12.

Além disso, a absorção é prejudicada pelo ácido estomacal, a SII, e o super crescimento bacteriano do intestino delgado - condições que são comuns em pacientes de EM/SFC. O US Institute of Medicine recomenda que os adultos com mais de 50 anos reponham vitamina B-12 a partir de suplementos. 

Todos os caminhos levam à B-12 - Conclusões e Recomendações: 
O sofrimento de pacientes de EM/SFC e outras doenças multi-sistema é generalizado e devastador. Esta aflição está começando a receber mais atenção, talvez por causa do ativismo das pessoas afetadas e à dedicação de pesquisadores e médicos. A pesquisa atual está nos fornecendo novas descobertas sobre os mecanismos subjacentes dessas complexas doenças.

O modelo óxido nítrico/peroxinitrito (NO-/ONOO-) e o ciclo de metilação surgiram como dois prováveis mecanismos que contribuem para essas patologias. Deficiências de uma das duas formas de vitamina B-12 - hidroxicobalamina e/ou metilcobalamina - desempenham um papel importante nestes processos bioquímicos.

Desde que a vitamina B-12 (em especial a hidroxicobalamina e a metilcobalamina) oferecem benefícios potenciais aos pacientes dessas doenças - sem riscos conhecidos - parece razoável sugerir que alguém que sofra com elas deva considerar o uso de um suplemento que contenha estas duas importantes formas de vitamina B-12.

Além disso, devido ao equilíbrio que a cianocobalamina tem com a hidroxicobalamina e o efeito de proteção e regeneração que a adenosilcobalamina exerce na Mielina, esses dois componentes também devem ser considerados como uma parte importante de qualquer suplementação completa de vitamina B-12. 

Nota importante: Esta informação não foi avaliada pelo FDA. Ela é genérica e não se destina a prevenir, diagnosticar, tratar ou curar qualquer condição, doença ou enfermidade. É muito importante que você não faça qualquer mudança no seu tratamento sem pesquisar e discutir com seus médicos.

Dra. Dana Myatt, NMD, é médica naturopática, educadora, autora e palestrante com um interesse especial em nutrição. Ela faz palestras para médicos e leigos e hospeda um site. 
Mark Ziemann, RN, marido da Dra. Myatt é seu colaborador e também um educador, autor e palestrante especializado em enfermagem holística e educação do paciente. 


Tradução: Teresa Araujo 

NOTA: A vitamina B12 é segura e o efeito colateral mais comum é diarréia leve e temporária. Porém, procure atendimento médico se os seguintes efeitos secundários se manifestarem: reações alérgicas graves; dor, inchaço ou sensibilidade na panturrilha; dor no peito; sensação de inchaço pelo corpo; febre, calafrios e dor de garganta persistente; batimento cardíaco irregular; fraqueza muscular ou cãibras; falta de ar; hematomas ou hemorragias.